Usuários destaque
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    yunicornn
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    Nicolinda,
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    enzzopixie
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    Nahzumi
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    zikacostasi
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    BabiDePrado
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    Odoiya
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    .-.Stressed.-.
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    renan29062003
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    Carolixas321
  • Interagindo com a Habbonitos, obtive a pontuação máxima e faturei prêmios! xD
    LilBiank
Chacina da Candelária
Postado por: Carolixas321
Data: 23/05/2020
Visualizações: 12
Carolixas321
Entrosado
A chacina da Candelária, como ficou conhecido este episódio, foi uma chacina que ocorreu na noite de 23 de julho de 1993, próximo à Igreja da Candelária, localizada no centro da cidade do Rio de Janeiro. Neste crime, oito jovens foram assassinados. O caso foi listado pelo portal Brasil Online (BOL, 2015) e pela Superinteressante (2015) ao lado de outros crimes que "chocaram" o Brasil.

Na noite de 23 de julho de 1993, pouco antes da meia-noite, dois Chevettes com placas cobertas pararam em frente à Igreja da Candelária. Em seguida, os ocupantes atiraram contra dezenas de pessoas, a maioria adolescentes, que estavam dormindo nas proximidades da Igreja.

Posteriormente, nas investigações, descobriu-se que os autores dos disparos eram milicianos. Como resultado, seis menores e dois maiores morreram e várias crianças e adolescentes ficaram feridos. Segundo estudos realizados por associações ligadas à organização Anistia Internacional, quarenta e quatro das setenta pessoas que dormiam nas ruas daquela região perderam a vida de forma violenta. Todas as vítimas eram pobres e negras.

A investigação do ato levou até Wagner dos Santos, um dos adolescentes que sobreviveu, apesar de ter sido atingido por quatro tiros. Santos sofreria um segundo atentado em 12 de setembro de 1994 na Estação Central do Brasil e a partir de então, o Ministério Público o colocou no Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas.[7] Seu testemunho foi fundamental no reconhecimento dos envolvidos. Wagner deixou o país com a ajuda do governo federal e sofre com sérios problemas de saúde.

No decorrer do processo, foram indiciadas sete pessoas no total: o ex-Policial Militar Marcus Vinícius Emmanuel Borges, os Policiais Militares Cláudio dos Santos e Marcelo Cortes, o serralheiro Jurandir Gomes França, Nelson Oliveira dos Santos, Marco Aurélio Dias de Alcântara e Arlindo Afonso Lisboa Júnior.
Cláudio, Marcelo e Jurandir foram inocentados no processo.
Arlindo ainda não foi julgado pela chacina, tendo sido condenado a dois anos por ter em seu poder uma das armas do crime.
Os outros três, que já foram condenados, permanecem em liberdade, beneficiadas por indulto ou em liberdade condicional:

Marcus Vinicius Emmanuel Borges, ex-Policial Militar – foi condenado a 309 anos de prisão em primeira instância. Recorreu a sentença e, num segundo julgamento, foi condenado a 89 anos. Insatisfeito com o resultado, o Ministério Público pediu um novo julgamento e, em fevereiro de 2003, Emmanuel foi condenado a 300 anos mas permanece em liberdade.
Nelson Oliveira dos Santos – foi condenado a 243 anos de prisão pelas mortes da chacina e a 18 anos por tentativa de assassinato de Santos. Recorreu a sentença, sendo absolvido pelas mortes em um segundo julgamento, mesmo após ter confessado o crime. O Ministério Público recorreu e, no ano de 2000, Nelson foi condenando a 27 anos de prisão pelas mortes e foi mantida a condenação por tentativa de assassinato, somando uma pena de 45 anos. Nelson Oliveira dos Santos também já está solto. Atualmente ele está em liberdade condicional por outros crimes, segundo o Tribunal de Justiça do Rio.
Marco Aurélio Dias de Alcântara – foi condenado a 204 anos de prisão e também foi liberado da prisão.

Fonte: Wikipédia

Assinatura:

Olá, vamos comentar?
Faça o login para comentar esta notícia
RE: Chacina da Candelária
Comentado por: Carolixas321
Data: 23/05/2020
Carolixas321
Entrosado
Vocês já ouviram falar desse? Ele tem uma ligação com o tópico anterior, sabem qual?

Assinatura:

RE: Chacina da Candelária
Comentado por: daniela5831
Data: 23/05/2020
daniela5831
Entrosado
Nossa amei este tópico de tipo história

Assinatura:

RE: Chacina da Candelária
Comentado por: .-.Stressed.-.
Data: 23/05/2020
.-.Stressed.-.
Entrosado
po sempre isso e em igrejas ne credo

Assinatura:

1